Cuidados no Carnaval

A chegada de fevereiro traz a proximidade do carnaval. O Brasil está em contagem regressiva, o que significa que é a melhor hora para começar a pensar nos cuidados com o corpo. Afinal, o carnaval está na estação mais quente do ano, o verão, isso deve ser fonte de algumas preocupações.

Aproveitar os dias de folia acaba alterando o sono e a alimentação, e prejudicando o funcionamento do organismo. Para não comprometer seu corpo, confira algumas dicas para manter a saúde no Carnaval:

Evite os excessos

Tudo o que é demais, faz mal. Principalmente o álcool. O abuso da substancia misturada às bebidas energéticas podem levar a desidratação, uma vez que nem todos os organismos reagem bem ao excesso de estímulos.

Mantenha-se hidratado

Bebidas alcoólicas podem gerar quadros de hipoglicemia, causando desmaios. A ingestão de líquidos pode ajudar a combater sintomas como desidratação e hipoglicemia, mas não corta a embriaguez.

Proteja-se do sol

Se for curtir a folia durante o dia, para prevenir queimaduras de sol, opte pelo uso de chapéus, roupas leves e protetor solar.

Alimente-se bem

Para manter a energia e a saúde, é preciso tomar cuidado com a alimentação. Refeições leves, que facilitem a digestão, e evitar alimentos ricos em gorduras e sal é muito importante.

Descanse bem

Passar muitas horas sem dormir prejudica a saúde. Faça pausas para repor a energia. Com algumas horas de sono você acorda bem-disposta para continuar aproveitando o Carnaval.

Para saber mais detalhes sobre o cuidado com o seu corpo e estar 100% pronto para a folia, você pode marcar sua consulta com um de nossos especialistas na unidade Camim mais próxima!

Verão Sem Perrengues

Com o verão a mil, é maior o risco das queimaduras. E também, maior os casos de doenças de pele que parecem se multiplicar com o aumento de temperatura. Segundo levantamento da Sociedade Brasileira de Dermatologia, a procura por dermatologistas aumenta em até 50% entre janeiro e fevereiro, quando comparados ao resto do ano.  Mas ao contrário do que se imagina, não são as queimaduras provocadas pela exposição solar que levam as pessoas a procurar um dermatologista.

Calor e umidade são a combinação responsável pelo surgimento de várias doenças de pele no verão; além de queimaduras de pele, desidratação, intoxicação alimentar, que podem aparecer no período, o que interfere na saúde de quem quer aproveitar a estação mais animada do ano.

Queimaduras de pele

O vermelhão só aparece um tempo depois da exposição ao sol e normalmente é acompanhado de ardência. Em casos mais graves, pode haver formação de bolhas. Por isso, é importante conhecer seu tom de pele: as mais claras têm maior risco de queimaduras do que as escuras. Use filtro solar com fatores adequados e proteja a cabeça com chapéu ou boné.

Para começar a tratar, no caso de queimaduras, é importante hidratar o corpo, ingerindo bastante água, e a pele, com uso de cremes. Em quadros mais severos, pode ocorrer desidratação e insolação, com dor de cabeça, tontura e até aceleração da frequência cardíaca. Nesse caso, procure um médico.

Desidratação

Crianças e idosos costumam sofrer mais com essa.  A pessoa se sente prostrada, letárgica, sonolenta. Em casos mais graves, pode evoluir para parada cardíaca e até coma.

Manter-se hidratado é a forma de prevenir a desidratação. Em geral, ingerir de dois litros e meio a três litros de água por dia pode ser suficiente, mas isso varia com o que se perde de líquido e o peso da pessoa. Um bom indicativo é a cor da urina: se estiver mais escura, é preciso ingerir líquido. O ideal é uma coloração mais pálida.

Para resolver a desidratação, a reidratação costuma ajudar. Normalmente, é feita por via oral, com a ingestão de líquidos. Em situações mais graves, pode ser via endovenosa, com soro fisiológico.

Intoxicação alimentar

Febre, mal-estar e sintomas digestivos são os principais sinais. Diarreia, náuseas, vômitos, sensação de barriga inchada e cólicas também podem surgir. Deve-se ter muito cuidado em verificar a procedência dos alimentos, principalmente aqueles consumidos na beira da praia e que ficam muito tempo expostos ao calor. Em casa, evite reaproveitar a comida que ficou fora da geladeira por um período muito longo e fique atento aos prazos de validade.

Na maioria dos casos, as intoxicações alimentares se resolvem espontaneamente. Manter a hidratação é importante. Soro caseiro, soro de reidratação e isotônicos são boas alternativas. Nos casos mais extremos ou persistentes, procure um médico.

Micoses

Há dois tipos mais comuns no verão. A pitiríase versicolor deixa manchas claras ou mais escuras, com pouca ou nenhuma escamação. Ombros, costa e peito são as regiões mais afetadas. Essas infecções podem se manifestar em qualquer parte do corpo. No verão, é mais frequente a manifestação nos pés e no meio dos dedos dos pés. Provocam descamação, fissuras na pele, coceira e odor forte.

Um bom passo para começar a evitar micoses, é usar chinelos de borracha nas bordas de piscinas, em vestiários e chuveiros públicos. Seque bem os pés, os meios dos dedos e outras dobras do corpo. Troque meias e roupas íntimas diariamente. Mantenha as unhas curtas e coloque os calçados em locais arejados. Use roupas leves.

Quando procurar um dermatologista?

Ao notar qualquer alteração na pele, você deve procurar um dermatologista para fazer o diagnóstico correto e o tratamento mais indicado. Procure a Camim mais próxima de você!