Saiba como se prevenir de doenças comuns do outono

O outono finalmente chegou e trouxe com ele temperaturas mais baixas e mudanças no tempo. Devido a isso, as pessoas tendem a ficar mais próximas e em locais fechados, o que acaba possibilitando a disseminação de infecções transmitidas pelo ar. 

Entre as principais doenças que costumam ocorrer nesta época do ano, estão a gripe e o resfriado, que habitualmente são confundidas. A primeira é ocasionada pelo vírus influenza, enquanto os resfriados são causados por diversos tipos de vírus, como o rinovírus. A gripe é muito contagiosa, podendo ser transmitida pela fala, tosse ou espirro. Já o resfriado é propagado por contato físico e, também, pelo ar.

O que devemos fazer para nos prevenir contra os males trazidos pelo outono?

A melhor forma para se defender da gripe é por meio da vacinação. Apesar da vacina não ser 100% eficaz, ajuda a garantir que os sintomas da doença fiquem mais brandos. A imunização deve ser anual, já que o vírus influenza sofre pequenas mutações.

Existem ainda vacinas que protegem contra pneumonias, otites e meningites. Além disso, recomenda-se evitar aglomerações e locais pouco arejados durante as estações frias do ano.

O ressecamento das vias respiratórias pode causar inflamações e diminuir a produção de secreções com anticorpos, por isso, o ideal manter-se bastante hidratado e ingerir muito líquido. Também é necessário ter uma alimentação equilibrada e praticar exercícios fora dos horários em que há mais poluição atmosférica.

Em casos de alergias, aconselha-se procurar um médico para realizar um tratamento preventivo.

Pesquisa: Vacina da Febre Amarela pode proteger contra Zika

Ao passo que cientistas pelo mundo estão em busca de uma cura para o vírus Zika, pesquisadores do Rio de Janeiro constataram que a resposta pode ser mais simples do que pensávamos: a vacina para a febre amarela.

A pesquisa foi conduzida por dezesseis pesquisadores da UFRJ e da Fundação Oswaldo Cruz, e concluiu que a vacina da febre amarela protegeu camundongos da infecção do vírus em laboratório, reduzindo a carga do vírus no cérebro e prevenindo deficiências neurológicas.

Apesar de publicado, o estudo ainda precisa passar pelo processo de revisão por pares exigido por periódicos científicos, que têm um trâmite demorado. Esse sistema é adotado para disponibilizar rapidamente resultados iniciais de pesquisas à comunidade científica internacional.

A busca pela vacina contra a Zika começou em meados de 2016, quando foi comprovada a chegada da doença no Brasil. Ela, que até então era considerada inofensiva, foi diagnosticada como a causa do surto de bebês que nasciam com microcefalia e malformações neurológicas.

Foi esse surto que levou o Governo Brasileiro e a OMS a decretarem situações de emergência, uma vez que, além dos graves problemas para o bebê, a Zika também é associada ao surgimento da síndrome de Guillain-Barré em adultos.

Vírus similares

A febre amarela e a zika são transmitidas por vírus com estruturas biológicas similares, o que motivou a equipe do Rio a testar a eficácia da vacinação contra a febre amarela sobre o vírus Zika.

Os pesquisadores realizaram experiências com dois grupos de camundongos, um formado por animais saudáveis e o segundo por indivíduos com sistema imune comprometido, mais vulneráveis à disseminação do vírus.

Parte dos roedores foi vacinada contra a febre amarela e outra recebeu somente uma solução salina, sem efeitos imunológicos. Após isto, os dois grupos receberam injeções intracerebrais do vírus da zika, de forma a simular infecções com grande taxa de letalidade.

Depois dos testes, os camundongos que não foram vacinados e estavam mais suscetíveis acabaram morrendo, enquanto os normais desenvolveram sintomas da doença. Porém, entre os vacinados, os mais vulneráveis não morreram e todos apresentaram a carga viral muito reduzida no cérebro.

Etapas seguintes

Após dois anos de pesquisa, a equipe trabalha para compreender os mecanismos de defesa contra o vírus concebido a partir da vacina da febre amarela. O próximo passo será realizar testes em primatas.

Em caso da eficácia ser comprovada para humanos, existiria um grande benefício em poder contar com uma vacina licenciada, utilizada há anos e disponível no mercado, e que poderia ser distribuída na hipótese de um novo surto de infecções.

O estudo foi financiado pela Faperj (Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro), pelo CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico), pelo Capes (Ministério da Saúde, da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior) e pela Finep (Financiadora de Estudos e Projetos).

Descubra os sintomas do autismo

O autismo é uma síndrome que gera alterações na capacidade de comunicação, interação social e comportamento da criança. Também provoca dificuldades na fala, bloqueios na forma de expressar ideias e sentimentos, assim como comportamentos incomuns, problemas na hora de interagir e agitação exacerbada.

Alguns dos sinais do autismo surgem por volta dos 2 a 3 anos, que é o período em que a criança tem maior interação e comunicação com pessoas e o ambiente no geral. Porém, alguns casos é possível observar os sintomas desde ainda bebês, como expressões faciais ou a ausência reação aos sons.

Há também como perceber os sintomas em adolescentes e adultos, sendo o isolamento o mais comum deles. Além desse, não olhar nos olhos, agressividade e dificuldade em se adaptar a uma nova rotina.

Vale lembrar que alguns desses sinais não confirmam o autismo, portanto, faz-se necessário a consulta com um especialista para uma avaliação clínica específica. 

Como saber se é autismo

Há alguns graus de autismo, onde você pode perceber sinais leves ou mais graves. Alguns dos sintomas mais comuns são:

  1. Dificuldade na interação social
  • A falta de contato visual
  • Risos e gargalhadas inadequadas ou fora de hora
  • Não gostar de carinho ou afeto
  • Dificuldade em relacionar-se com o outro
  • Repetir sempre as mesmas coisas, brincar sempre com os mesmos brinquedos.
  1. Dificuldade de comunicação
  • A criança sabe falar, mas prefere não falar
  • A criança refere-se a si mesma com a palavra: você
  • Mantém sempre a mesma expressão no rosto e não entende gestos e expressões faciais dos outros;
  • Não atender quando é chamado pelo nome;
  • Olhar com o canto do olho quando sente-se desconfortável;
  • Quando fala a comunicação é monótona e com tom pedante.
  1. Alterações comportamentais
  • Não tem medo de situação perigosas, como atravessar a rua sem olhar para os carros, chegar muito perto dos animais aparentemente perigosos, como cães de grande porte;
  • Ter brincadeiras estranhas, dando funções diferentes aos brinquedos que possui;
  • Aparentemente não sente dor e parece que gosta de se machucar ou de machucar os outros de propósito;
  • Leva o braço de outra pessoa para pegar o objeto que ela deseja;
  • Olha sempre na mesma direção como se estivesse parado no tempo;
  • Fica se balançando para frente e para trás por vários minutos ou horas ou torcer as mãos ou os dedos constantemente;
  • Dificuldade a se adaptar a uma nova rotina ficando agitado
  • Ficar passando a mão em objetos ou ter fixação por água;
  • Ficar extremamente agitado quando está em público ou em ambientes barulhentos.

Em caso de suspeita de qualquer um desses comportamentos, é recomendável a avaliação de um psiquiatra ou médico de confiança.

Por fim, a possibilidade de ter uma vida adulta normal e autônoma varia de acordo com a gravidade dos sintomas e a realização de um tratamento adequado. Porém, o apoio familiar é essencial, principalmente nos casos onde o grau é mais grave e o autista pode depender de outros para atender suas necessidades sociais ou financeiras.

Eu preciso de um psiquiatra?

O que você faz quando quebra o braço, uma perna, ou só tem uma gastrite ou diabetes? Procura um médico. Não adianta fugir. Buscar tratamento para aquilo que está nos incomodando é tão natural quanto necessário para evitar problemas mais graves.

Portanto, dar a devida atenção à sua saúde mental é essencial, e deveria ser a mesma atenção que você dispensa à sua saúde física. No entanto, diferente daquela inconfundível dor de dente que nos leva imediatamente ao consultório do dentista, os sintomas de transtornos mentais podem ser mais difíceis de identificar.

Qual a diferença entre um psicólogo e um psiquiatra?

O psiquiatra é um profissional graduado em medicina e com residência em psiquiatria. É responsável por diagnosticar e tratar todas as questões de ordem mental, como dependência química, depressão e ansiedade, por exemplo.

O psiquiatra pode se especializar em psiquiatria infanto-juvenil, forense, psicogeriatria, psicoterapia e Inter consulta em hospital geral.  É importante ressaltar que somente com esse tipo de especialista pode prescrever medicamentos.

Já o psicólogo é um profissional com graduação em psicologia, cuja habilitação permite que ele atue em problemas de ordem psicológica ou comportamental por meio de técnicas como sessões de psicoterapia.

Para garantir um pleno atendimento de suas necessidades e melhores resultados no tratamento, o ideal é que os dois profissionais atuem em conjunto.

Mas afinal, quando procurar um psiquiatra?

  • Suas mudanças de humor são frequentes

Ficar chateado com um feedback negativo do chefe ou uma nota baixa na faculdade é perfeitamente normal. No entanto, é importante procurar um psiquiatra se você percebe que as suas reações a esses eventos são desproporcionais e você tem dificuldade para controlar a raiva ou suas emoções.

Frustrar-se com facilidade ou ter níveis de tolerância muito baixo aos contratempos normais do cotidiano, podem ser indicativos da presença de transtornos de humor, problema que atinge cerca de 4% da população brasileira.

  • Você está enfrentando dificuldade para dormir e alterações no apetite

Quase todo mundo enfrenta dificuldades para dormir uma vez ou outra. No entanto, se você passa por crises de insônia frequentes, que prejudicam o desempenho das suas atividades diárias, é importante buscar ajuda de um psiquiatra.

Alguns transtornos mentais, como síndrome do pânico e outros tipos de ansiedade, estão ligados a distúrbios no sono e precisam ser investigados para receberem o diagnóstico correto.

Da mesma maneira, alterações importantes na relação com a comida, como episódios de compulsão alimentar ou perda de apetite, precisam ser avaliados por um médico especializado em saúde mental.

  • Você não consegue se livrar de algum vício

Se você está enfrentando dificuldades para deixar de vez alguns hábitos pouco saudáveis que têm atrapalhado ou seu dia a dia, como beber, fumar ou usar drogas, chegou a hora de procurar um psiquiatra.

Normalmente, o abuso desses tipos de substâncias é utilizado como uma válvula de escape para outros problemas, que podem ser superados com ajuda especializada. O primeiro passo para vencer essa batalha é reconhecer a situação e buscar apoio.

E então, entendeu melhor quando procurar um psiquiatra? Se você quer cuidar da sua saúde mental e investir em seu bem-estar e qualidade de vida, entre em contato conosco agora mesmo!

 

Quem tem saúde é mais feliz, por isso somos Camim.

Câncer de pele: saiba mais sobre um dos grandes vilões do verão

Aproveitar as férias na praia durante o verão ou até mesmo aquele fim de semana ensolarado na piscina do clube são atividades que fazem parte da rotina de muitos brasileiros em qualquer época do ano. Basta ter sol para que o dia seja de atividades ao ar livre. Entretanto, poucas pessoas se atentam aos devidos cuidados com a pele.

Mais do que um efeito estético, para evitar a vermelhidão provocada por excesso de sol, todas as pessoas precisam buscar meios de se proteger. Vale lembrar que a exposição aos raios solares pode provocar queimaduras, aparecimento de manchas na pele e até problemas mais graves, como o câncer de pele.

Pessoas com mais de 40 anos possuem maior predisposição para desenvolver o câncer não-melanoma. Porém, devido à exposição aos raios de sol cada vez mais cedo, a faixa etária tem variado bastante.

Sol: amigo ou inimigo?

Tomar banho de sol é uma prática saudável, afinal a luz solar é responsável por estimular o nosso corpo a produzir vitamina D. A única fonte desta substância é o sol e entre suas variadas funções em nosso organismo, a principal é a manutenção do tecido ósseo. Mas vale ressaltar que esta exposição ao sol deve ser feita com moderação.

Durante o verão, o Brasil fica mais exposto aos raios solares. Essa é uma das explicações para que o dia comece mais cedo e demore mais tempo para escurecer. Também é durante a estação mais quente do ano que a Terra recebe uma maior incidência de raios ultravioletas, os raios UV.

Estes raios invisíveis a olho nu são maléficos à nossa pele. Por isso, médicos recomendam evitar o banho de sol às 11h e às 15h, quando há uma maior concentração de raios. Outra orientação é sempre utilizar bloqueadores ou protetores solar.

Câncer de pele: um dos vilões do verão

Assim como em outras doenças, o diagnóstico tardio é prejudicial, tendo em vista que o câncer pode se espalhar para outras regiões do corpo através dos vasos sanguíneos. O diagnóstico precisa ser feito no início da doença, para que as chances de cura sejam maiores e os tratamentos sejam mais efetivos. Por isso, a importância de passar regularmente em consulta com o médico dermatologista.

Em casos confirmados de câncer de pele, o especialista indicará a melhor forma de tratamento, que pode ser feito até mesmo com técnicas de cirurgia plástica.

Como a cirurgia plástica é usada no tratamento de câncer de pele?

Uma das maneiras de tratamento do câncer de pele é através da cirurgia plástica. Após o diagnóstico da região e profundidade atingida pela doença, o cirurgião procura o procedimento mais adequado, a fim de remover todas as células cancerígenas. Entre as técnicas, está a de remoção simples, uma das mais utilizadas, principalmente para a remoção de pequenas manchas.

Para casos mais evoluídos de câncer, aqueles que já acometeram uma grande quantidade do órgão, o cirurgião pode optar em fazer a remoção e preencher o espaço com a técnica do retalho.

Outro método é o enxerto, quando é retirada uma parte do tecido de outra região do corpo para ocupar o espaço removido de pele por conta do câncer. É importante que o paciente tenha a ciência de que pode ficar com algumas cicatrizes, porém livre das células malignas.

Além de ajudar na superação do câncer, o profissional terá o cuidado necessário com a questão estética e com o bem-estar do paciente. Para saber mais, agende uma consulta na Camim mais próxima de você.

E compartilhe esse texto com os seus amigos, para que eles também possa saber mais sobre o Câncer de Pele e seus métodos de combate.

Importância do Cardiologista

Segundo uma pesquisa da Organização Mundial da Saúde (OMS), a consulta a um cardiologista pode prevenir que 80% dos fatores de risco levem ao surgimento de doenças no coração. Além disso, uma avaliação médica regular possibilita o diagnóstico precoce de um problema cardíaco, elevando as chances de cura.

Por que a consulta ao cardiologista previne doenças?

Quando as consultas são frequentes, dificilmente uma disfunção passa despercebida. Isso porque o paciente é analisado de forma individual, conforme sua idade, o histórico familiar e os fatores de risco nos quais ele se enquadra.

As principais condições que influenciam o aparecimento de doenças cardíacas e que, portanto, devem ser avaliadas pelo especialista são:

  • obesidade;
  • sedentarismo;
  • tabagismo;
  • colesterol alto;
  • hipertensão;
  • diabetes;
  • estresse;
  • distúrbios endócrinos, infecciosos e nos rins.

Quando a pessoa possui um ou mais dos problemas acima e se consulta com um cardiologista periodicamente, o médico pode orientá-la sobre mudanças de hábito necessárias, assim como acompanhar sua evolução.

Principais exames realizados no check-up cardiológico

Nas consultas de rotina ao cardiologista, é possível realizar diversos exames visando a detecção de disfunções. Os mais comuns são:

  • eletrocardiograma: tem como objetivo observar o ritmo do coração, se há distúrbios na condução elétrica, alguma sobrecarga ou alteração no funcionamento do órgão;
  • teste ergométrico ou de esforço: analisa o desempenho cardiovascular em momentos de esforço físico. É fundamental, portanto, para pessoas que fazem ou pretendem fazer atividades físicas. Nem sempre os resultados são conclusivos sobre a existência de alguma anormalidade, mas o teste pode levar o médico a ampliar a investigação;
  • ecocardiograma: é uma espécie de ultrassonografia que avalia o tamanho do coração, a espessura de suas paredes, o quanto de sangue é bombeado o movimento das válvulas cardíacas.
  • radiografia de tórax: além da avaliação pulmonar, observa-se se há um aumento cardíaco e alongamento da aorta.
  • testes laboratoriais: os exames de sangue mais frequentes são os de colesterol, triglicérides e glicemia, mas outros podem ser solicitados conforme o histórico do paciente.

Quais doenças podem ser prevenidas na consulta ao cardiologista?

Com o check-up preventivo, é possível evitar ou tratar precocemente várias doenças no coração. Um exemplo que leva à morte de milhões de pessoas todos os anos é o infarto agudo do miocárdio, também chamado de ataque cardíaco. Trata-se de uma obstrução na arterial que bloqueia a passagem do sangue por completo para o músculo cardíaco.

A insuficiência cardíaca é outro problema que pode ser prevenido com a consulta a um cardiologista. Ela costuma desenvolver-se devido a outras condições, como hipertensão e disfunções vasculares, e caracteriza-se por impedir não conseguir bombear o sangue adequadamente para outros órgãos.

A arritmia, ou seja, a alteração do ritmo dos batimentos cardíacos, é uma situação corriqueira também. Apesar de afetar principalmente pacientes com mais idade, afeta jovens e pode ser causada por substâncias estimulantes, como café e álcool, mas pode ser consequência de outras enfermidades, como o infarto ou do uso de drogas.

Outros distúrbios que podem ser diagnosticados no check-up são:

  • anginal;
  • aterosclerose;
  • cardiomiopatia;
  • cardiopatia congênita;
  • doença arterial periférica;
  • hipertensão e hipotensão;
  • pericardite;
  • prolapso da válvula mitral;
  • sopro no coração;
  • taquicardia;

tumor cardíaco.

Não procure o médico somente quando algo estiver errado

Quem agenda consultas com o cardiologista somente quando sente algo atípico corre o risco de descobrir a presença de problemas já em estágio avançado. Com isso, o tratamento pode ser mais difícil ou até insuficiente, não trazendo resultados satisfatórios.

Lembre-se, o check-up cardiológico de rotina possui um papel duplo: além de prevenir disfunções, possibilita que um distúrbio seja identificado de maneira precoce, aumentando as chances de cura.

Para saber mais detalhes sobre o cuidado com o seu coração e estar 100% para o verão e o resto do ano, você pode marcar sua consulta com um de nossos especialistas na unidade Camim mais próxima!

Importância do Aleitamento Materno

A maior aliada da nossa saúde é a autoestima. Com ela em alta é como se você estivesse protegido contra todos os tropeços, curvas fechadas e declives prolongados que a vida nos oferece. Com a autoestima presente, a gente se sente dono do nosso corpo, da nossa alma e das nossas emoções. E ainda, capaz de driblar ou suportar as crises, as emoções fortes, as dores e as doenças.

É claro que não se pode controlar o que acontece no mundo, os desastres ecológicos, os altos e baixos da economia ou o coração de alguém que queremos conquistar. A única coisa que você pode ter controle, é o que te pertence e por quem você é totalmente responsável, que no caso, é você mesmo.

Vários estudos têm indicado que a maioria das enfermidades acontecem quando estamos com a imunidade em baixa. E a imunidade tem muito a ver com nossa autoestima. Tem a ver com prestar atenção às nossas emoções, aos nossos limites, e saber ouvir seu corpo quando ele pede um descanso, um alimento ou um movimento.

Quando estamos muito desconectados de nós mesmos, nem percebemos o cansaço. Comemos coisas que não nos fazem bem e escolhemos pessoas erradas e lugares desagradáveis para estar. Viramos uma bola de neve de negatividades e fazemos tudo em desacordo com nosso bem estar.

Acontece que a maior parte das pessoas nem sabe perceber se tem uma boa autoestima e, se acha que tem, se confunde com ego em alta ou orgulho em demasia.

A autoestima tem mais a ver com paz interior, tranquilidade nos pensamentos e uma percepção de se sentir presente dentro de você. Se você não sabe do que estou falando, que tal tirar uns dias para ficar com você mesma? Pode ser num lugar bonito na natureza ou na sua casa. De repente, botando em ordem as suas coisas e jogando fora o que não interessa mais. Ficar com você mesma é um ótimo caminho para começar a fazer as pazes com você. Abrace essa ideia.

Oferecemos diversas especialidades para que você goste ainda mais de se olhar no espelho. Venha para a Camim e desfrute dos benefícios que só você merece!

Importância do Aleitamento Materno

O Aleitamento Materno traz inúmeros benefícios ao bebê, a mãe e a sociedade, como um todo. Dentre os benefícios, encontram-se a prevenção de hemorragia e consequente anemia materna, pois a sucção do bebê auxilia na contração uterina, o que também ajuda na diminuição do tamanho do abdômen da mãe. Por isso, pode-se estimular o aleitamento mesmo logo após o nascimento do bebê, ainda na sala de parto.

Vale dizer que o aleitamento é extremamente prático e econômico, uma vez que o leite é produzido pelo próprio organismo, na temperatura correta, o que facilita a vida da mãe que não precisará esquentar mamadeiras, lavar utensílios de cozinha, entre outros.

A amamentação fortalece o sistema imunológico do bebê, protegendo-o contra infecções respiratórias e intestinais, levando-o a ganhar peso, fato que o ajudará a crescer forte.

Muitas mulheres pensam ter o leite fraco, especialmente ao verificarem que nos primeiros dias após o parto sai de seu peito um líquido ralo e claro. Na verdade, este leite chama-se colostro e é importantíssimo para o bebê, pois nele existem inúmeros anticorpos que a mãe passa ao seu filho, protegendo-o contra diversas doenças.

Desde que o médico não contraindique o aleitamento materno, toda mulher pode e deve amamentar o seu bebê até no mínimo o sexto mês de vida. E só a partir deste período, o pediatra orientará a introdução de novos alimentos.

As recomendações mais importantes são que o bebê deve ser amamentado todas as vezes que desejar. A mãe deve permitir que a criança mame até o momento em que sentir o peito vazio ou murcho para, só então, oferecer a outra mama.

É sempre bom lembrar que o bebê deve ser colocado para arrotar, logo após a mamada e, se ele for ficar deitado, deve ser posicionado de lado, pois, caso vomite, não corre o risco de sufocar-se. Sob o colchão do berço pode ser colocado um cobertor, por exemplo, a fim de que a criança, ao deitar-se, fique com a cabeça e o tronco um pouco mais altos que seus membros inferiores, prevenindo assim o refluxo.

O leite humano é um alimento inimitável devido a sua complexa composição e o único que pode ser oferecido direto de mãe para filho. Além de tudo, a amamentação favorece o vínculo mãe-filho e facilita o desenvolvimento emocional, cognitivo e do sistema nervoso.

Sinais para você procurar um Urologista

O médico urologista é o responsável por diagnosticar e tratar doenças do sistema urinário, que inclui órgãos, como a bexiga e os rins, e canais, como a uretra e os ureteres. Para problemas desse tipo, tanto homens quanto mulheres devem procurar o profissional.

O urologista também é habilitado para cuidar do sistema reprodutor masculino, que inclui a próstata, testículo, pênis, vesículas seminais, ductos deferentes e epidídimos. No mais, esse médico também é responsável por realizar diagnósticos e tratar problemas relacionados às adrenais, também chamadas de glândulas suprarrenais, que produzem hormônios importantes como a adrenalina e o cortisol. 

Assim, esse profissional pode atuar em todos os segmentos da urologia ou se qualificar em uma das subdivisões da especialidade.

 

Andrologia: em que o profissional cuida exclusivamente do sistema reprodutor masculino, assim como a sua função sexual e hormônios envolvidos;

Doenças sexualmente transmissíveis (DSTs): como gonorreia, herpes e sífilis;

Urologia feminina ou pediátrica: em que o profissional se especializa nos problemas que acometem principalmente essas populações;

Uroneurologia: em que o médico atua especialmente em casos de doenças urinárias consequentes de distúrbios neurológicos;

Uro-oncologia: para diagnóstico e tratamento específico de tumores urológicos;

Transplante renal.

O urologista também atende em consultório médico. Além disso, ele ainda trabalha em hospitais, para realizar cirurgias, exames diagnósticos e para acompanhar seus pacientes que estão internados.

 

Como destaque, o urologista tem um papel de relevância para a saúde dos homens, pois realiza exames preventivos essenciais, como o exame da próstata, indispensável no check-up anual para diagnosticar de maneira precoce um câncer na região.

Ao todo, as responsabilidades do urologista incluem diagnosticar e estabelecer o tratamento mais adequado para cada pessoa em relação às doenças urológicas e genitais. Dessa forma, ele garante a recuperação mais rápida, com o restabelecimento da saúde e qualidade de vida do paciente.

Quais doenças são tratadas por esse médico?

A lista de doenças tratadas pelo urologista é gigantesca. Entre os problemas que podem acometer tanto homens quanto mulheres em todas as idades estão:

  • Infecções urinárias, como a cistite e a pielonefrite;
  • Inflamações;
  • Tumores benignos ou malignos;
  • Cálculos renais, as famosas pedras no rim;
  • Incontinência ou obstrução do fluxo urinário.

 

Para os homens, o urologista identifica e trata problemas como:

  • Infertilidade;
  • Ejaculação precoce;
  • Impotência sexual;
  • DSTs;
  • Fimose;
  • Curvatura peniana;
  • Câncer que acomete o sistema reprodutor masculino.

No processo de diagnosticar essas doenças, o médico solicita alguns exames. Os mais comuns são os de sangue, para avaliar principalmente os parâmetros bioquímicos relacionados com o trato urinário, como creatinina, ureia e ácido úrico, além da contagem de leucócitos para verificar uma possível infecção. Os exames de imagem também podem ser solicitados, os quais incluem ultrassonografias e ressonância magnética.

Que sinais indicam a necessidade de procurar um urologista?

A maioria das pessoas não sabe como identificar situações em que a procura pelo médico urologista é essencial. Por esse motivo, separamos alguns sintomas que servem como um sinal de alerta para você visitar o consultório médico.

  • Dor abdominal
  • Dor lombar
  • Dor no pênis
  • Dor nos testículos ou epidídimo
  • Sintomas urinários
  • Sintomas relacionados aos órgãos sexuais masculinos

 

É indispensável procurar um urologista assim que você perceber qualquer um dos sintomas citados acima, porque, assim, é possível evitar agravos e complicações na sua saúde.

Para os homens com mais de 50 anos, no mínimo uma consulta por ano com o médico urologista é melhor para realizar uma bateria completa de exames preventivos, especialmente quando se trata do câncer de próstata.

Com todos os cuidados e com foco sempre em prevenção, a sua saúde ficará em dia. Está precisando se consultar com um médico urologista? Está com algum dos sintomas? Procure a Camim mais próxima de você. 

 

Temos Urologistas em todas as nossas unidades.

Que praticar exercícios só faz bem para a saúde, todo mundo sabe. Mas, você sabia que eles podem auxiliar tanto quanto um remédio? Isso mesmo, diversos problemas podem ser amenizados ou até controlados com a atividade física certa, afinal, essa prática traz bem-estar para o corpo e para a mente!

Alguns dos vários benefícios da pratica de exercício incluem o reforço da musculatura e do sistema cardiovascular; aperfeiçoamento das habilidades atléticas; a perda de e por aí vai.

Quando realizados regularmente, os exercícios físicos estimulam o sistema imunológico, ajudam a prevenir doenças, podem moderar o colesterol, prevenir a obesidade muito mais.

Além disso, a prática de exercícios auxilia quanto à saúde mental e a depressão. São incontáveis os benefícios. Mas se você ainda precisa se convencer a fazer exercícios, aqui temos alguns motivos.

 

Funciona mais do que dieta

Quando o assunto é perda de peso, os exercícios físicos podem ajudar mais do que a dieta porque a atividade causa a aceleração do metabolismo, que consome calorias mesmo em estado de repouso.

Regula o sono

A prática de exercícios libera endorfina, uma enzima que proporciona bem-estar e diminui a ansiedade e o estresse, o que está diretamente ligado à noite de sono.

Diminui os riscos do câncer de mama

A pratica de exercícios físicos diminuem os níveis de estrogênio, hormônio intimamente ligado ao câncer de mama

Combate a osteoporose

A osteoporose deixa os ossos mais frágeis e suscetíveis a fraturas, os exercícios físicos ajudam no combate à essa doença, pois fortalecem a massa óssea, graças ao impacto que os exercícios causam no corpo.

Ajuda contra a hipertensão

Além de todos os outros benefícios, a pratica de exercícios físicos libera substâncias que causam a dilatação e o fortalecimento dos vasos sanguíneos, e portanto, ajudam no combate à hipertensão.

 

Vale lembrar que exercícios físicos, além de combater as doenças, pode ser um meio mais barato para prevenir as doenças, além de melhorar sua qualidade de vida.  E lembrem-se: nunca é tarde para começar.