Terapia: porque devo fazer?

Terapia: porque devo fazer?

Ainda hoje existe um tabu sobre terapia. Muitas pessoas tem preconceito e acabam fugindo da terapia quando deveriam correr para ela.

O que é a Terapia?

A terapia ou (psicoterapia) é a arte de curar a mente. Consiste em um conjunto de práticas terapêuticas entre o paciente e o psicólogo com o intuito de diminuir sofrimentos e interpretar os eventos e acontecimentos da vida de uma pessoa.

Por conta disso, a terapia é recomendada para todas as pessoas que desejam melhorar aspectos emocionais em sua vida e não só para quem tem algum tipo de transtorno mental.

O terapeuta tem o objetivo de auxiliar o paciente na busca por respostas, fazendo com que esse paciente entenda a causa do surgimento de alguns pensamentos e atitudes. Ele pode ajudar a melhorar a saúde mental, por isso é importante procurar ajuda nos primeiros sinais de sofrimento psicológico, como tristeza e angústia. Muitos esperam chegar ao limite para procurar um profissional, o que não é o ideal.

Em resumo, o papel do psicólogo/terapeuta é facilitar o autoconhecimento do paciente sobre seus medos e barreiras, para que assim, ele consiga ter uma vida mais saudável.

Porque fazer terapia

É fazendo a terapia que o paciente irá se autoconhecer a ponto de encontrar soluções para conflitos internos e melhorar a sua saúde mental. Com a ajuda do terapeuta ele irá encontrar os gatilhos que desencadeiam sentimentos que levam a um sofrimento psicológico.

A terapia é realizada a partir de conversas e abordagens que torna possível a conscientização do passado do paciente, explicando, muitas vezes, o que ele é hoje.

É importante que o paciente vá a um profissional com o qual se identifica e tem confiança, pois isso irá determinar o sucesso do tratamento já que com confiança, o paciente acaba se sentindo melhor e mais confortável para discutir assuntos pessoais.

A psicoterapia ajuda na auto aceitação do paciente com seu estado psíquico.

3 razões para você fazer terapia

Aumentar a autoconfiança: a falta de confiança pode fazer com que muitas pessoas tenham medo do novo (seja uma mudança de cidade, de empregou ou de escola). Isso pode gerar grandes inseguranças que são capazes de se transformar em angústias e ansiedades. Na terapia, serão trabalhadas essas inseguranças, transformando pensamentos negativos em positivos.

Lidar com sentimentos: existem situações que deixam marcas emocionais, como separações e falecimento de um ente querido. Muitos não conseguem superar essas dores e é ai que entra o terapeuta, ele irá ajudar você a conviver com sua história e aproveitar as possibilidades que surgirem.

Conviver com o medo: quem convive com muitos medos e não sabe como lidar com situações do passado pode sofrer muito com isso. Na terapia, depois de algumas sessões você terá mais inteligência e maturidade emocional para lidar com essas barreiras.

Quando procurar ajuda

Como vimos até aqui, a saúde mental é responsável pelos resultados daquilo que uma pessoa vive. Quando a mente não está saudável, podem ser desencadeados vários sentimentos negativos, levando a necessidade de uma ajuda profissional.

Depressão

A depressão provoca profunda tristeza e perda de interesse nas tarefas diárias. Ela é um transtorno de humor que afeta como uma pessoa se sente, pensa e se comporta. Pode ocasionar problemas emocionais e físicos e, em casos graves, pode matar. Por isso, caso sinta algum sintoma suspeito, procure um terapeuta para te ajudar.

Ansiedade

O transtorno de ansiedade pode levar uma pessoa a desenvolver a síndrome do pânico. Ela pode ser o problema central, como pode ser um dos sintomas de uma doença. Por isso, é importante procurar um terapeuta que irá te ajudar com alguns recursos ou te encaminhar a um psiquiatra (que poderá prescrever uma medicação).

Distúrbios alimentares

Os distúrbios alimentares geralmente trazem consequências sérias para o organismo e para a saúde mental. Nesses casos, a terapia ajudará a reduzir comportamentos compulsivos e ajudará o paciente a entender o porquê do desenvolvimento desse distúrbio.