Entenda a lactogestação

Entenda a lactogestação

É comum que uma mãe de primeira viagem fique cheia de dúvidas ao descobrir que está gravida de novo enquanto amamenta o primeiro filho. Ela terá de iniciar o desmame antes da hora para que o seu corpo se dedique à produção de hormônios necessários para a formação e crescimento do novo bebê? Continuar a amamentar pode fazer com que você sofra um aborto? Se optar por amamentar durante a gravidez, será capaz de alimentar os dois filhos ao mesmo tempo?

Diante dessas e de outras dúvidas que rondam a amamentação na gravidez, a chamada lactogestação, a Sociedade Brasileira de Pediatria diz que, na maioria das vezes, não há riscos de perda gestacional ou parto prematuro devido à mãe estar amamentando.

Mas vale o lembrete: desde que a futura mamãe não tenha essa predisposição ou se a gravidez não for de risco. Dessa forma, a recomendação da classe médica é de que o obstetra e/ou pediatra seja consultado para verificar se há alguma contraindicação para amamentar durante a gestação.

Aleitamento e ocitocina 

O parto prematuro ou a perda gestacional podem acontecer independentemente do fato de a mulher amamentar ou não o filho mais velho. Amamentar durante uma gravidez, na maioria das vezes, não está associada a riscos para mães e bebês.

Essa preocupação existe porque a mãe, quando está amamentando, libera ocitocina, hormônio envolvido na ejeção do leite e que também está relacionado às contrações durante o trabalho de parto. No entanto, esse fato não é um problema quando trata-se de uma gestação sem complicações/riscos, devendo ser sempre consultado o médico obstetra e/ou o pediatra. 

O leite materno tem sabor alterado e diminui de quantidade durante a gestação. Com isso, pode acontecer de o seu filho desejar o desmame. Mas a maioria das crianças se adapta e continua sendo amamentada até o novo bebê chegar.

Dicas para lactogestação

  • Cuide da alimentação.
  • Você pode amamentar seus dois filhos depois do parto.
  • Seu filho mais velho pode ser alimentado com o colostro.

Siga uma dieta balanceada para que o aporte de nutrientes que você consome chegue ao feto e também alimente o seu filho mais velho. A Academia Americana de Pediatria sugere apenas que a mãe amamente primeiro o recém-nascido e depois o filho mais velho, já que o bebê possui necessidades maiores nessa fase, e o filho mais velho possui outras formas de alimentação.

Seu filho mais velho pode ser alimentado com o colostro, mas como o sabor e a textura são diferentes, talvez ele rejeite o leite dos primeiros dias após o parto e depois volte a pedir o peito novamente. Só não deixe de amamentar o recém-nascido, já que o colostro contém todos os nutrientes necessários para uma nutrição completa desde as primeiras horas de vida.

Acompanhe de perto o ganho de peso e o crescimento do recém-nascido. O corpo humano é inteligente e produzirá a quantidade que você precisa para alimentar as duas crianças. Mas é bom comunicar ao pediatra que ambos estão amamentando para se certificar de que o seu leite está alimentando os dois, e que o recém-nascido esteja ganhando peso e na altura esperada para a sua idade.

E compartilhe esse texto com os seus amigos, para que eles também possam saber sobre a lactogestação.