Combate ao Alcoolismo

Combate ao Alcoolismo

Ontem foi o Dia Nacional do Combate ao Alcoolismo, portanto entramos na semana de combate ao alcoolismo, problema que mata em média 3,3 milhões de pessoas por ano.

Porém, o tratamento só pode começar quando o dependente reconhecer que está em situação crítica, conscientizando-se de que o alcoolismo se tornou uma doença que precisa ser curada. E claro, precisa de muita força de vontade.

O importante é dar o primeiro passo.

Conversar com um médico

Ao decidir abandonar o vício, a primeira coisa que o dependente tem que saber é que ele não estará sozinho, e que a abstinência não é fácil de lidar. Portanto, o ideal é procurar um médico e aconselhar-se.

Mudar sua relação com o alcoolismo

Entender que o dependente não está sendo forçado a desistir de algo que lhe faz bem é muito importante para começar a mudança de atitude. Ele deve saber que está se livrando de um problema, um grande inimigo para sua mente, corpo e para as pessoas a sua volta.

Escolher uma data para começar

Se planejar para abandonar o vício é um passo importante. Se estiver num estágio mais avançado, deve começar a beber menos, reduzindo aos poucos, para não ter maiores problemas com os sintomas de abstinência.

Eliminar todas as bebidas em casa

Não dá para tentar abandonar o vício de álcool tendo bebidas alcoólicas à vista em sua casa, ainda mais no período inicial do tratamento. Não se preocupe em se colocar na posição de dependente em recuperação, mesmo ao receber amigos em casa.

Evitar locais de consumo de bebidas

Enquanto não sentir a confiança necessária para deixar de vez o alcoolismo, o é bom evitar situações que lhe deixem com vontade de beber. Não frequentar os bares que costumava frequentar, deixar de lado pessoas com quem costumava beber e não frequentar ambientes que sejam mais tentadores é a melhor coisa a fazer.

Proteger a própria sobriedade é o mais importante durante a recuperação

Não é necessário explicar a decisão aos outros

A decisão de abandonar o alcoolismo é do próprio dependente e não interessa a pessoas alheias. Assim, não é preciso explicar sempre sua decisão. É preciso entender que a maior parte das pessoas não é alcoólatra, bebendo por puro prazer e na quantidade adequada.

O alcoolismo é uma doença que precisa ser tratada e levada a sério. Para escapar dela, é preciso ter consciência de que não é um processo individual. O alcoólatra está carregando um grande peso e deve ter noção de que as pessoas mais próximas querem ajuda-lo. De forma geral, no entanto, torna-se mais fácil com a ajuda de um médico.