Abril Azul: Dia Mundial da Conscientização do Autismo

O Dia Mundial da Conscientização do Autismo, ou Dia Mundial do Autismo, é comemorado dia 2 de Abril. A data serve para ajudar a conscientizar a população mundial sobre o Autismo.

Em todo o mundo, mais de 70 milhões de pessoas são portadores de autismo, o que corresponde a cerca de 1% da população mundial, segundo dados da Organização das Nações Unidas (ONU). No Brasil, cerca de 2 milhões de pessoas são autistas.

O autismo é dividido em três níveis: leve, moderado e grave. A patologia pode ser identificada já nos primeiros meses de contato do bebê, e o diagnóstico prévio é fundamental.

Origem do Dia Mundial do Autismo

O Dia Mundial de Conscientização do Autismo foi criado pela Organização das Nações Unidas (ONU), em 18 de Dezembro de 2007, com o intuito de alertar as sociedades e governantes sobre esta doença, ajudando a derrubar preconceitos e esclarecer a todos. 

O que é o autismo?

O autismo é um transtorno no desenvolvimento caracterizado pelo atraso no desenvolvimento das habilidades sociais, comunicativas e cognitivas. Os portadores dos transtornos do espectro autista podem se destacar em habilidades visuais, música, arte e matemática.

O espectro pode ser associado com deficiência intelectual, dificuldades de coordenação motora e de atenção e, às vezes, o autista pode ter problemas de saúde física, como sono e distúrbios gastrointestinais, e podem desenvolver problemas como transtorno de déficit de atenção e hiperatividade, dislexia ou dispraxia. Na adolescência, pode-se desenvolver ansiedade e depressão.

Algumas reações podem ser observadas em quem tem a doença, como por exemplo: não se reconhecer pelo nome, não reclamar ao ser deixado sozinho, ter fisionomia pouco expressiva, não interagir com outras pessoas e ter comportamentos repetitivos.

Apesar disso, algumas particularidades sobre pessoas com autismo são:

  • A maioria das pessoas com autismo é boa em aprender visualmente;
  • Algumas pessoas com autismo são muito atentas aos detalhes e à exatidão;
  • Geralmente possuem capacidade de memória muito acima da média;
  • É provável que as informações, rotinas ou processos uma vez aprendidos sejam retidos;
  • Algumas pessoas de espectro autista conseguem concentrar-se na sua área de interesse específico durante muito tempo e podem optar por estudar ou trabalhar em áreas afins;
  • A paixão pela rotina pode ser fator favorável na execução de um trabalho;
  • Indivíduos com autismo costumam ser funcionários leais e de confiança.

 

Vários níveis no espectro

O autismo faz parte de um grupo de desordens do cérebro chamado de transtorno invasivo do desenvolvimento (TID) – também conhecido como transtorno global do desenvolvimento (TGD). Para muitos, o autismo remete à imagem dos casos mais graves, mas há vários níveis dentro do espectro autista. Nos limites dessa variação, há desde casos com sérios comprometimentos do cérebro além de raros casos com diversas habilidades mentais, como a Síndrome de Asperger (um tipo leve de autismo) – atribuído inclusive a aos gênios Leonardo Da Vinci, Michelangelo, Mozart e Einstein.

Mas é preciso desfazer o mito de que todo autista tem um “superpoder”. Os casos de genialidade são raríssimos.

A medicina e a ciência de um modo geral sabem muito pouco sobre o autismo, descrito pela primeira vez em 1943 e somente 1993 incluído na Classificação Internacional de Doenças (CID 10) da Organização Mundial da Saúde como um transtorno invasivo do desenvolvimento.

Muitas pesquisas ao redor do mundo tentam descobrir causas, intervenções mais eficazes e a tão esperada cura. Atualmente diversos tratamentos podem tornar a qualidade de vida da pessoa com autismo sensivelmente melhor.

 

Gostou do texto? Aprendeu alguma curiosidade nova? Compartilhe com seus amigos para eles saberem mais sobre o Autismo e a necessidade da conscientização também! Abril está chegando!

Combate ao Alcoolismo

Ontem foi o Dia Nacional do Combate ao Alcoolismo, portanto entramos na semana de combate ao alcoolismo, problema que mata em média 3,3 milhões de pessoas por ano.

Porém, o tratamento só pode começar quando o dependente reconhecer que está em situação crítica, conscientizando-se de que o alcoolismo se tornou uma doença que precisa ser curada. E claro, precisa de muita força de vontade.

O importante é dar o primeiro passo.

Conversar com um médico

Ao decidir abandonar o vício, a primeira coisa que o dependente tem que saber é que ele não estará sozinho, e que a abstinência não é fácil de lidar. Portanto, o ideal é procurar um médico e aconselhar-se.

Mudar sua relação com o alcoolismo

Entender que o dependente não está sendo forçado a desistir de algo que lhe faz bem é muito importante para começar a mudança de atitude. Ele deve saber que está se livrando de um problema, um grande inimigo para sua mente, corpo e para as pessoas a sua volta.

Escolher uma data para começar

Se planejar para abandonar o vício é um passo importante. Se estiver num estágio mais avançado, deve começar a beber menos, reduzindo aos poucos, para não ter maiores problemas com os sintomas de abstinência.

Eliminar todas as bebidas em casa

Não dá para tentar abandonar o vício de álcool tendo bebidas alcoólicas à vista em sua casa, ainda mais no período inicial do tratamento. Não se preocupe em se colocar na posição de dependente em recuperação, mesmo ao receber amigos em casa.

Evitar locais de consumo de bebidas

Enquanto não sentir a confiança necessária para deixar de vez o alcoolismo, o é bom evitar situações que lhe deixem com vontade de beber. Não frequentar os bares que costumava frequentar, deixar de lado pessoas com quem costumava beber e não frequentar ambientes que sejam mais tentadores é a melhor coisa a fazer.

Proteger a própria sobriedade é o mais importante durante a recuperação

Não é necessário explicar a decisão aos outros

A decisão de abandonar o alcoolismo é do próprio dependente e não interessa a pessoas alheias. Assim, não é preciso explicar sempre sua decisão. É preciso entender que a maior parte das pessoas não é alcoólatra, bebendo por puro prazer e na quantidade adequada.

O alcoolismo é uma doença que precisa ser tratada e levada a sério. Para escapar dela, é preciso ter consciência de que não é um processo individual. O alcoólatra está carregando um grande peso e deve ter noção de que as pessoas mais próximas querem ajuda-lo. De forma geral, no entanto, torna-se mais fácil com a ajuda de um médico.

Pelo quarto ano consecutivo, ex-jogadores e personalidades do futebol têm como objetivo promover a paz e arrecadar itens beneficentes no CFZ.

Pelo quarto ano consecutivo, o evento Craques da Paz acontece neste final de ano no Rio de Janeiro. Marcado para o dia ‪21 de dezembro, às 19h‬, o placo de 2018 será o CFZ do Rio, clube fundado e presidido por Zico, localizado no Recreio dos Bandeirantes, zona oeste da cidade carioca. Reunindo ex-jogadores, jogadores da atualidade, profissionais do esporte e artistas, o evento tem como objetivo promover a paz e arrecadar alimentos e brinquedos para crianças carentes. No ano passado, foram arrecadados 1 tonelada de alimentos e mais de 500 brinquedos e itens para crianças.‬

Para este ano, a expectativa é ainda melhor. Contando com a presença de participantes fieis e novos integrantes do evento, a comissão de diretoria do Craques da Paz, presidida pelo Fabinho campeão Mundial pelo Internacional ex Fla e Flu e pelo Ailton ex Flamengo, Duílio ex-zagueiro do Fluminense, Cássio ex Vasco, Marcelo Augusto, esperam atingir a meta de 5.000 itens. Animado com o planejamento, Fabinho resume a essência do evento.

“Será a quarta edição deste evento que idealizamos lá atrás, já prevendo o sucesso que seria. É muito gratificante poder ver as proporções que o Craques da Paz tem atingido. Quem já participou da festa, sabe como é bacana juntar tanta gente incrível em prol de um excelente propósito social. O mundo do futebol muitas vezes é injusto, mas se todos praticarmos o bem, é possível unir forças para ajudar o próximo. Este será sempre o nosso objetivo”, disse.

Coordenador geral do Craques da Paz e com a missão de planejar e organizar todo o evento do dia 21, o também ex-jogador Ricardo Pinudo, lembra da principal missão do Craques da Paz e função integradora em meio ao ambiente do futebol.

“É uma honra muito grande poder participar da comissão de organização desta festa, que a cada ano melhora e se firma como um dos grandes eventos beneficentes do mundo da bola. Eu, também como ex-atleta, sei da importância de estar junto de gente de qualidade, caráter, pessoas do bem, que só acrescentam umas às outras. Em paralelo a isso, poder ajudar a quem realmente necessita fazendo o que mais gostamos, não tem preço. Espero mais uma noite inesquecível neste ano”, disse.

Neste ano, o evento contará com nomes de destaque do futebol da atualidade, como os rubro-negros Vitinho e César. Segue a lista de confirmados:

LISTA DOS CONVIDADOS CONFIRMADOS

Música:
WAGUINHO
MC SMITH
FLAVINHO SILVA GRUPO 100%

Arbitragem :
LUIZ ANTÔNIO ÍNDIO
MARCELO DE L. HENRIQUE

Futebol :
MOZER EX FLAMENGO
FERNANDO ZAGUEIRO EX FLA E VASCO
CESAR GOLEIRO – FLA
LENON – VASCO
DANIELZINHO – FLU
RUAN – PONTE PRETA
WILIAN BÁRBIO
VITINHO – FLAMENGO
FELIPE EX VASCO
PIMENTEL EX VASCO
SORATO
NEGUEBA
MARLON – CORINTHIANS
MATHEUS ALESSANDRO
WELLINGTON SILVA
WELINGTON MONTEIRO
WILLIANS
LEANDRO ÁVILA

Na década de 1990, nos Estados Unidos da América, nasceu o movimento Outubro Rosa.
A história do movimento foi inspirada por um acontecimento em Nova York, em 1990, quando a Fundação Susan G. Komen for the Cure distribuiu laços cor-de-rosa aos participantes da Corrida pela Cura. Desde então, a campanha foi tomando força e passou a ocorrer anualmente.
Todas as ações durante a campanha Outubro Rosa são promovidas para alertar sobre a prevenção do câncer de mama. Através de eventos técnicos, debates, palestras, recursos educativos e apresentações sobre o tema, a campanha visa compartilhar informações, promover a conscientização, proporcionar maior acesso aos serviços de diagnóstico e de tratamento e reduzir o número de óbitos.
Este ano, o INCA intitulou a campanha com o tema “Câncer de mama: vamos falar sobre isso?”. O intuito é fortalecer as recomendações do Ministério da Saúde e desmistificar concepções em relação ao câncer de mama.
Quando detectado em fase inicial, na maioria dos casos, as possibilidades de tratamento e cura são consideravelmente maiores. Sem contar que, quanto menor for o tempo da doença, menos agressivo será o tratamento.
Após os 20 anos, todas as mulheres devem realizar o autoexame frequentemente, sempre de 3 a 10 dias após o aparecimento da menstruação.
Ainda segundo o Ministério da Saúde, mulheres com idade superior aos 50 anos, devem realizar a mamografia de rastreamento a cada dois anos.
Já a Sociedade Brasileira de Mastologia (SBM) recomenda que a mamografia seja realizada em mulheres a partir dos 40 anos.
A prevenção é a única forma de combater o câncer de mama e reduzir o índice de mortes.
A prevenção é um ato de amor próprio!
Ame-se, cuide-se!

Nós da Camim estamos juntos no Outubro Rosa.

Gostou do nosso texto? Compartilhe nas suas redes sociais para que os seus amigos também possam conhecer a campanha Outubro Rosa.